MMM e o modo de vida beneditino

MMM e sua Vida Beneditina

glenstall_abbey_gateway1Em 1934, nossa fundadora, Marie Martin, estava preocupada em encontrar uma morada para um pequeno grupo de mulheres que se interessaram pelo interesse que ela tinha em estabelecer uma congregação médica de Irmãs. Ela ficou muito entusiasmada com a idéia da possibilidade de poderem ajudar os Monges de Glenstal, que se encontravam com muitas dificuldades domésticas no recém-aberto Colégio Interno deles, e, em troca, receberia formação espiritual.

Seu diretor espiritual, Pe. Hugh Kelly SJ, se preocuva pensando como é que um treinamento beneditino tomaria um rumo monástico e litúrgico, uma vida espiritual que não parecia muito cabível para uma instituição primordialmente católica.

founder_small1Marie via isso de uma perspectiva bem diferente. Ela fazia a diferença entre o espírito e a prática da Espiritualidade Beneditina. Ela havia estudado os escritos do famoso Monge e Abade, Dom Columbia Marmion. Ela queria lavrar sua nova sociedade missionária sobre uma tradição espiritual que havia sido provada e testada durante séculos. O Espírito da Regra de São Bento lhe daria exatamente essa liberdade e, ao mesmo tempo, o compromisso de obrigação o qual via como tão necessário para alcançar sua visão de uma congregação missionária médica. Essa Regra seria cuidadosamente lavrada na Constituição MMM.

sr_m_patrick_leydonQuando Nora Leydon conheceu Marie Martin, ela tinha vinte e um anos de idade. Nascida em Kilmactranny, Condado de Sligo (Irlanda), ela trabalhava como Secretária do Padre Patrick Whitney, da recém-fundada Sociedade Missionária de São Patrício. No dia 19 de março de 1934, quando Nora chegou em Glenstal para se juntar a Marie, foi fundado o núcleo da futura Congregação de MMM. Mas levariam ainda três para que as MMM pudessem se estabelecer formalmente.

Pouco tempo depois, Bridie O'Rourke chegou a Glenstal. Ela adotou o nome de Irmã M. Madalena e se dedicou ao desenvolvimento do trabalho das MMM para o resto de sua vida. Faleceu em 11 de novembro de 2008. Ela sempre dizia que fora o exemplo dos Monges que a impressionara, até mesmo mais do que a Regra. Há alguns anos atrás ela escreveu sobre A Vida Beneditina: Uma Prova Pessoal.

sr_m_immaculata_nicholsCarrie Nichols nasceu em Dublin e batizou-se na Igreja de São Paulo, no Cais de Arran (Arran Quay), na mesma paróquia que Dom Marmion havia sido batizado - fato de que ela sempre nos relembrava. Ela tinha apenas 18 anos quando ficou sabendo da esperançosa Congregação médica missionária. Ela entrou no pequeno grupo de pioneiras de Glenstal em 1936. O espírito de São Bento conquistou seu jovem coração.

A pequena comunidade foi crescendo aos poucos, prestando a ajuda essencial aos Monges no estabelecimento do novo Colégio Interno para Garotos em Glenstal. Então, em 11 de fevereiro de 1936, o Vaticano passou o decreto que Marie Martin esperava há quase vinte anos. Daí por diante, mulheres missionárias religiosas eram permitidas, até mesmo incentivadas, a trabalhar em obstetrícia e cirurgia. Finalmente, abria-se o caminho para o estabelecimento das Missionárias Médicas de Maria.

Chegara portanto a hora de deixar o berço espiritual que Glenstal havia dado à jovem sociedade missionária. Em questão de meses, o pequeno grupo se preparava para a África. Mas o vínculo entre as Missionárias Médicas de Maria e o Mosteiro Beneditino de Glenstal duraria por todos os anos subsequente.

Search...